Biologia da Intuição

O que é a Biointuição?

Biointuição é um movimento para o despertar da vida intuitiva.

A intuição traz a capacidade de ver além do óbvio, de tomar decisões poderosas e viver a vida guiada pela sabedoria que reside no nosso interior. Essa habilidade há muito tempo foi deixada ao descrédito, adormecida nas profundezas da psique.

Todos temos essa habilidade, no entanto, na mulher, a intuição traz consigo arquétipos da mulher instintiva, sábia, forte, que resgata a autoconfiança e sustenta os desafios da vida.

A Biointuição conta com programas para mulheres que buscam resgatar a mulher sábia autoconfiante e para profissionais que trabalham com pessoas, com o intuito de perceber com maior profundidade o outro, através de uma leitura intuitiva de informações não captadas pelos 5 sentidos.

Com as técnicas da Biointuição é possível identificar as informações intuitivas, vindas do inconsciente pessoal e coletivo, através de Leituras Intuitivas Primárias e diferenciar a intuição da voz da mente.

Saber identificar as percepções intuitivas proporciona:

– Conseguir tomar decisões poderosas alinhadas com a missão de vida;
Ver além do óbvio;
– Ter clareza dos processos emocionais, minimizando os constantes oscilações emotivas que impedem o fluir da vida.
– Identificar as manifestações de medos e autosabotagem.
– Aumento da Autoconfiança e Autoestima.

Muitos consideram a intuição como sexto sentido, mas ela pode ser considerada o primeiro sentido, aquele que nos conecta com o universo e com o nosso poder pessoal.

Estamos vivendo num momento onde a humanidade em grande escala irá mudar a maneira de percepção, caminhando para uma expansão onde o foco de ação será a energia, que move a manifestação material.

As ciências olharão cada vez mais para o sutil, o que está além da matéria. Assim, o ser humano, percebendo o mundo invisível ao qual é constituído, se percebera parte, conectado com tudo e com todos, integrante do planeta,  o qual está por abrir seus portais.

A intuição trará a reconexão com a parte mais profunda de nós mesmos mesmos e, consequentemente, com o todo, o que nos coloca como responsáveis por nós e pelo meio. Cada pessoa já é um canal de recepção e transmissão, mas passará a tomará consciência disso e do seu papel como célula do grande ser Terra.

Esse é um caminho de expansão do chacra cardíaco e, naturalmente, de disseminação do amor.

Vida Intuitiva, do que estamos falando afinal?

Já aconteceu com você de pensar em alguém e logo depois tocar o telefone e ser a pessoa que você estava pensando? Ou de ter um insight de rever aquele trabalho sem motivo aparente e descobrir que tinha algo importante para corrigir? Muitas vezes nos aparecem respostas ou direcionamentos do caminho a seguir que não sabemos racionalmente de onde vieram.  E por não saber, temos receio, dificuldade de confiar e a pergunta que mais ouço é: como saber se algo que sinto ou percebo é intuição ou algo que criei na minha mente?

E respondo com outra pergunta: você sabe o que é intuição? Antes de saber como reconhecer a sua intuição é necessário saber o que é.

A palavra intuição vem do latim intuitere, formada pela junção “in” (dentro) e “tuere” (olhar para). Por esse olhar, intuição seria habilidade de olhar para dentro.

Eu imagino que dentro de você deve estar gritando a pergunta: como “olhar para dentro” pode me fazer perceber antecipadamente quem vai me telefonar? (ou mandar uma mensagem no whattsApp, nos dias de hoje).

A Psicologia e a Ciência da intuição

Para a Psicologia, Renate jost de Moraes no seu livro Inconsciente sem Fronteiras diz que “a intuição é uma compreensão instantânea, integral, ampla e profunda de fatos e acontecimentos, que não são limitados pelo tempo, pelo espaço e pela matéria, e que acontecem em nível inconsciente. É uma percepção, uma apreensão, um entendimento da situação, de maneira não racional.”

Nós viemos da era da razão, onde o entendimento intelectual, a prova de fatos, fundamenta o que é de conhecimento verdadeiro. A ciência precisa provar para considerar um conhecimento válido. A maioria de nós aprendeu a pensar dessa maneira, onde os fatos nos mostram as respostas. No entanto, percebemos que existe algo a mais, sentimos que existe uma capacidade inerente de, muitas vezes, saber as respostas de uma maneira não lógica.

Essa era da razão, embora imperando, está abrindo espaço para conversar com outras instâncias de conhecimentos, antes considerados místicos, como os estudos do inconsciente, o ser humano energético, base das medicinas orientais e a espiritualidade.

A própria ciência vem se debruçando para compreender como ocorre essa capacidade de entendimento, percepção não racional, que podemos chamar de intuição. E é apaixonante o que essas pesquisas nos revelam! Existe sabedoria biológica, bioquímica por trás dessa capacidade. Da mesma maneira que sabemos que o estômago produz ácidos para a digestão estamos descobrindo o que acontece com nossa fisiologia que permite reconhecer a intensão de uma pessoa que se aproxima sem conhece-la.

Considero os estudos profundos do inconsciente de Carl Gustav Jung, fundador da Psicologia Analítica um “divisor de águas” que permitiu essa conversa entre razão e o que era chamado de misticismo. Ele ampliou a ideia do inconsciente. Além da mente consciente e inconsciente individual, existe o inconsciente coletivo, que conecta as instâncias inconscientes individuais sem tempo e espaço, agrupando o conhecimento universal.

A física, com os estudos da quântica, também fundamenta essa ideia. Amit Goswami traz a ideia de que consciência está em tudo, numa molécula ou partícula, logo as informações do todo podem estão registradas numa pequena parte e podem ser acessadas.

O conhecimento do funcionamento do cérebro também nos permite saber como oscilam as ondas cerebrais e geram diferentes percepções da realidade.

Estudos do coração demonstram que ele é o nosso centro intuitivo! O Instituto HearthMath demonstrou que o coração é o centro eletromagnético do corpo, emanando 5 mil vezes mais eletromagnetismo que o cérebro e seis vezes mais eletricidade.  Cerca de 60 a 65% de suas células são neurais, exatamente como os neurônios cerebrais. Esse complexo neuronal é gerador de uma inteligência própria, particular que proporciona um saber intuitivo, direto que constitui parte essencial da nossa inteligência global.

A descoberta do tesouro que habita em mim

Minha jornada me impulsionou a mergulhar nesse universo, que me fascina cada dia mais.  Eu sou bióloga de formação, Mestre em Biologia funcional pela Unicamp, apaixonada pelos microssistemas celulares e bioquímica e filosofia. Como neta de uma linhagem de benzedeiras e de espíritas, fui criada vendo o poder do invisível, o que me motivou a buscar entender o que está por trás das coisas.

Quando eu me tornei mãe busquei entender mais profundamente o funcionamento do corpo como um todo para ter autonomia para lidar com a saúde do meu filho. Eu não queria ficar dependente de médicos e remédios. Fui estudar práticas naturais e energéticas, quando busquei especialização em Medicina chinesa, Cromoterapia e conheci o Bodytalk, prática terapêutica bioinformacional, na qual me aprofundei.

A maternidade me mostrou intuição natural que existe na mulher e descobri a intuição feminina que habita em mim. Já dizia Clarissa Pinkola Estés, ” a intuição é o tesouro da psique da mulher”.

Chegou um momento em que me apaixonei pela Psicologia Junguiana e eu e meu esposo, já especialista em Psicologia Junguiana e Arteterapia, fundamos o Jung na Prática. Esse caminho me levou à Psicologia Simbólica, do Dr. Carlos Byington, o qual tive o privilégio de conhecer e participar da organização do Portal da Byington na Prática.

Essa trajetória me levou a entender que nossa psique é intuitiva e que existe sabedoria biológica por trás da intuição, ou seja, a intuição é uma habilidade que todos temos. Me aprofundei através de estudos da Hearth Math Institute, Penney Pierce, Sonia Choquette e com o auxílio do querido James Oschman que guiou meus estudos com vários materiais.

Comecei a atender mulheres que buscavam o resgate da sua essência feminina, autoconfiança e a mulher intuitiva, o que levou a perceber que o trabalho com o arquétipo da mulher intuitiva, selvagem, resgata a mulher forte, autoconfiante, escondida na psique. Comecei, então, a realizar trabalhos com o feminino intuitivo através de mentorias, grupo, Círculos de Mulheres através de ferramentas terapêuticas, de coaching e com os contos de Clarissa Pinkola Estés.

Usar a intuição em todas as áreas da minha vida foi um grande desafio, e ainda é. O coach permitiu que eu elaborasse o conteúdo simbólico e colocasse em prática na minha vida cotidiana, fazendo com que essas informações se transformassem em ação real e resultado. Fiz a formação, me aprofundei em ferramentas e adaptei para que a intuição fosse considerada no processo e criei o Coaching Biointuitivo, metodologia de atendimentos que utiliza ferramentas do coaching e técnicas da Biointuição para conquista de resultados.

Nós estamos nos encaminhando para um tempo em que nossa intuição “falará” cada vez mais alto porque ela já existe como capacidade inerente a cada um de nós. A ciência já está percebendo isso. Eu percebo e você também deve estar percebendo que cada vez mais nasce dentro das pessoas um chamado para aprender a confiar na intuição.

Como quando aprendemos um conceito novo, é necessário entender como se processa e vivenciar para podermos acreditar que é real e que devemos aprender a dar valor para a intuição, tanto quanto damos para a razão.

Vivenciar a intuição da mulher que sou e estudar os fenômenos biológicos por trás da intuição é  desvelar um universo maravilhoso e desconhecido. Eu senti como um chamado e comecei ministrando palestras, áudios reflexivos e hoje trabalho com grupos de mentoria, cursos e atendimentos individuais e cada vez mais pessoas chegam querendo desvelar essa habilidade esquecida.

Os projetos da Biointuição

 A Biointuição conta com alguns projetos:

1. Biologia da Intuição, estudo da ciência intuitiva que tem como objetivo desmistificar a intuição. Estudos científicos já mostram que temos um corpo intuitivo com estruturas celulares, processos fisiológicos que permite com que façamos leituras do meio, do nosso mundo interno, do inconsciente pessoal e coletivo.

A maioria dos estudos estão em difícil acesso devido a linguagem científica, e a Biologia da Intuição traz uma linguagem simples e acessível para que todos os que queiram possam entender, sem necessidade de conhecimento prévio e assim consigam perceber como a Intuição se manifesta e como torná-la cada vez mais parte do nosso dia a dia.

>> BAIXE O EBOOK BASES BIOLÓGICAS DA INTUIÇÃO <<

2. Biointuição para Mulheres:  Jornadas (individuais ou em grupo) resgatando o empoderamento da mulher autoconfiante que reconhece seus poderes e sabe se posicionar no mundo. 

Os trabalhos são realizados com diversas ferramentas de acesso ao inconsciente (contos, processos terapêuticos), e de concretização das informações reconhecidas em objetivos práticos e reais na vida (ferramentas de coaching, etc)

>> BAIXE O EBOOK QUATRO SABERES DAS MULHER INTUITIVA <<

3. Biointuição para Profissionais da saúde:  Atendimentos individuais ou em grupo para aprender a usar a intuição no ambiente profissional, refinando a percepção das informações do meio ao redor e das pessoas do convívio.

>> SAIBA MAIS DOS PROGRAMAS E ATENDIMENTOS<<

Acredito que vivenciar a intuição é o grande desafio e o próximo passo da humanidade. Não de uma forma mística, mas como parte integrante do ser, capaz de perceber o meio, o próximo. Eu sinto minhas decisões alinhadas com o mais íntimo do meu ser quando ouço meu coração, quando abro caminho para minha intuição transcender as limitações da razão. É o que busco a cada dia, reconhecer –me.

A Intuição é o nosso GPS interno, numa instância mais profunda, é um convite a um mergulho a lugares desconhecidos de nós mesmo! Vamos juntos?